Poet Among Books

        Dedicar-me aqui, é o que
mantém meu amor por minhas palavras. Tê-lo como leitor é uma eterna honra para
um simples poeta como eu. Viver é uma grande dúvida num mundo onde se podem
escolher vários caminhos, onde também se perdem muitas oportunidades e em meio
a isso o poeta esquiva-se de toda repugnância capitalista e vaga por um mundo
somente, dele.      

Haverão Dias…

Haverão dias em que terei silêncio e precise ouvir seu barulho a perturbar meus ouvidos.

Haverão dias que talvez a solidão se sente ao meu lado para uma xícara de café e eu precise sentir seu abraço para espantar a solidão.

Haverão dias que a felicidade irá reinar e eu precise de seu sorriso para me transbordar de felicidade.

Haverão dias que a chuva e o frio baterão a porta mais eu já terei sua companhia comigo, me aquecendo.

Haverão dias que tê-lo ao meu lado será impossível e eu precise respeitar a distância.

Haverão dias que serão baseados em sonhos que com o passar dos dias se tornaram anos e eu tive a alegria de ter sua companhia outra vez por mais um dia.

O Tempo Perguntou…

Digo que talvez eu sobreviva sem seu sorriso, sem a feição de seu rosto desenhada na sombra pelo sol das quatro da tarde de algum dia comum.

Penso que minha preocupação contigo vai além da sua impulsividade explosiva e me dói saber que ainda não tenho forma de acalmar isso em você.

Sei que estou apaixonado por um alguém que me inspira de maneiras diferentes a cada dia e é isso que me faz querer-te ainda mais.

E se for cedo demais? – Pergunta o tempo.

Eu responderei que não me importo se for cedo ou talvez tarde, nunca me disseram que era necessário de data e hora para gostar de alguém.

Se eu pedir para que fique, sei que não vais ficar, mas só talvez eu peça para me deixar acompanha-lo e tê-lo por mais alguns minutos, aqui.

Sei também que não pediu para que eu escrevesse nada, nem sei se consigo escrever sobre algo que me faz feliz, mas escrevo sobre você.

Ás vezes você faz escolhas na vida, e ás vezes as escolhas fazem você.

Dedico a quem se encaixe nele, a quem queira pertencê-lo.

És…

image

És aquilo que busquei por anos, a harmonia que faz meu mundo girar em completa sincronia com as batidas de nossos corações. De alguma forma eu sei que me encontro em você, me completo por estar contigo.

És a poesia que me move aquela que flui em forma de pequenos gestos de você pra mim e que me cativa por ser tão tímidos quanto seu sorriso quando olho pra você. Estar com você me deixa mais leve, mais calmo… Mas o tempo parecer voar e nos quer separar.

Tens sido amigo quando preciso de consolo, me feito sorrir enquanto ainda estou a secar lágrimas de tristeza, tem feito meus dias mais lindos por me dar esse sorriso sincero.

Tens se mostrado forte comigo, sofreu mudanças por mim e não se questionou por isso, adaptaram-se a nós dois e então eu pude ver a alegria que brilha em seus olhos quando estamos juntos… És por mim o que sou por você, somos. 

Dedicado a D.D

Ausência…

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

- Vinicius de Moraes 

É assim, pedir desculpas por nada, sorrir e saber que o motivo é você e não dever explicações a ninguém sobre o que sinto.

É te ter por perto mesmo quando estás longe. Te abraçar me faz ir além de caminhos que eu jamais imaginei que passaria em sua companhia e enfim entender que é você.

Despertar a inspiração que sempre procurei por apenas sorrir pra mim timidamente me faz depositar o amor nas palavras de uma forma que até elas me questionaram, mas no fundo aceitaram como o maior carinho do mundo. 

É tudo sobre nós, a vida, o tempo, o pôr-do-sol que se curva ao longe e abraça nossos corpos, é você, sou eu, somos nós em tudo e sobre tudo, em nós. 

(Fonte: Spotify)

Timidez…

image

A timidez a princípio se apossou dele, como acontece às pessoas que se surpreendem sentindo além do razoável.

Coisa estranha e invasiva que o esconde por trás de mãos,

De olhares, de algum moletom.

Essa tal timidez que lhe arranca sorrisos e tonaliza suas bochechas em rubro,

Ela que te oculta entre as páginas de “Voltaire” só pra evitar-me com esse sorriso cativante.

Existe em nós dois, flui como uma linha sanguínea que não podemos ver, mas está lá. Deixar-te sem jeito só por me olhar em plano de fundo a uma paisagem e ter no cenho a expressão interrogativa deslizando na minha direção.

Desejo-te a timidez, esse acanhamento que te faz parecer airoso que torna meu sorriso espontâneo.

Intimida-me. 

Dedicado á D.D

Talvez…

Talvez eu viva para contar tal história,

talvez a história me conte um segredo, ou não.

Quem sabe daqui alguns anos, talvez eu case e tenha filhos,

talvez eu visite Londres no outono para poder banhar meus olhos enquanto as folhas caem sobre a minha cabeça.

Talvez eu coma massa na Itália e também viaje a Índia,

talvez eu me perca por aqui ou acolá só pra você poder me achar,

de repente eu me ache ou nem tenha me perdido,

quiçá um dia eu veja uma estrela cadente.

Quem sabe a gente se esbarra por ai, quem sabe?

Talvez o céu não seja azul, tão pouco o vento seja incolor, mas talvez mesmo…

O amor não exista, mas ai, quem sabe? 

Pintado…

image

Lá estava pintado em manchas multicolores, o céu pintado estava. Transbordando vida e a vida tirando do dia, em decair-se sobre a ponta da terra, partiu.

Revogando seu direito ao mando escuro, à noite o agradeceu e assumiu seu lugar e cobriu o céu com suas lâmpadas multicolores e de intenso brilho, e em especial colocou uma em destaque, para ser seu braço direito em reinar pela noite, Lua.

Mas o céu foi pintado de guache há pouco tempo, a tinta ainda escorria e borrava o chão de cores, o pôr do sol foi pintado ali também. O alaranjado intenso tomou conta do horizonte sendo chamuscado por alguns riscos largos de azul que iam ficando mais fracos à medida que o Sol partia.

O pôr do sol foi pintado e ali permanecera todas as tardes, sei lá, somente se você quiser ele estará lá, para quem o queira pintar outra vez ou cobri-lo com seu olhar, pintado. 

Prometo…

image

Eu prometo te lembrar todos os dias o quanto eu te adoro
E o quanto você é especial pra mim
Eu prometo enxugar suas lágrimas
Quando você estiver triste
E cantar e rezar por você todas as noites,
antes de eu dormir
Eu prometo que sempre ao olhar as estrelas
eu lembrarei do brilho de teus olhos
E do quão maravilhoso é o sorriso teu

Eu prometo um dia estar com você
pra te girar e te abraçar bem forte
E você saberá o quanto eu amo você

Eu prometo nunca mais me aborrecer com você por besteira
Prometo que sempre vou achar você o maior docinho
Mesmo que você esteja muito, mas muito brava!

Eu prometo ser teu amigo por toda a vida
E que jamais irei magoar você
Por que pra mim o mundo é mais maravilhoso por que você existe!
E você sempre estará em meu coração.

- Augusto Branco

Dedicado á D.L

Poema…

image

Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes
ele escreveu um poema
E o intitulou “Chops”
porque era o nome de seu cão
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e uma estrela dourada
E sua mãe o abraçou à porta da cozinha
e leu o poema para as tias
Era o ano em que o padre Tracy
levava todas as crianças ao zoológico
E ele deixou que cantassem no ônibus
E sua irmãzinha tinha nascido
com unhas minúsculas e nenhum cabelo
E sua mãe e seu pai se beijavam tanto
E a garota da esquina mandou para ele
um cartão de Dia dos Namorados assinado com vários X
e ele teve de perguntar ao pai o que significava X
E seu pai deixou que ele dormisse na sua cama à noite
E era sempre lá que ele dormia

Em uma folha de papel com linhas azuis

ele escreveu um poema

E o intitulou “Outono”
porque era o nome da estação
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e o pediu para escrever com mais clareza
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
por causa da pintura nova
E as crianças disseram a ele
que o padre Tracy fumava cigarros
E largava as guimbas no banco da igreja
E às vezes elas faziam buracos
Que era o ano de sua irmã usar óculos
com lentes grossas e armação preta
E a garota da esquina riu
quando ele pediu para ver Papai Noel
E os garotos perguntaram por que
a mãe e o pai se beijavam tanto
E seu pai não o cobria mais na cama à noite
E seu pai ficou furioso
quando ele chorou por isso.

Em um pedaço de papel de seu caderno

ele escreveu um poema
E o intitulou “Inocência: Uma Questão”
porque a questão era sobre uma garota
E isso estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e um olhar muito estranho
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
porque ele nunca o mostrou a ela
Foi o primeiro ano depois da morte do padre Tracy
E ele esqueceu como terminava
o Creio em Deus Pai
E ele pegou a irmã
se agarrando na varanda dos fundos
E sua mãe e seu pai nunca se beijavam
nem mesmo conversavam
E a garota da esquina
usava maquiagem demais
O que fez ele tossir quando a beijou
mas ele a beijou mesmo assim
porque era a coisa certa a fazer
E às três da manhã ele se aninhou na cama
seu pai roncava alto

É por isso que no verso de uma folha de papel pardo

ele tentou outro poema
E o intitulou “Absolutamente Nada”
Porque era o que estava em toda parte
E ele se deu um A
e um corte em cada maldito pulso
E se encostou na porta do banheiro
porque nessa hora ele não pensou
que poderia alcançar a cozinha.”

Com amor,

Charlie

- As Vantagens de Ser Invisível